Trio Clássico mostra múltiplas sonoridades em concerto Franco-Alemão

|

“Foi uma experiência maravilhosa.”

Jodyline Gallavardin

As três artistas que compõem o trio deixaram boas referências em palco no primeiro momento do espectáculo. Ao som do piano da francesa Jodyline Gallavardin, do violino da angolana Fineza André, incorporados na flauta da alemã Vera Bieber, o concerto deixou o público maravilhado, aplaudindo vivamente.

O concerto visou saudar o 61º aniversário do Tratado de Eliseu, entre a França e a Alemanha, assinado pelo Presidente francês Charles de Gaulle e o Chanceler alemão Konrad Ademauer, em 1963. Durante duas horas de concerto, o Trio Clássico apresentou diversos números, numa performance que roçou à perfeição, numa combinação “perfeita” de várias culturas. A nova geração de musicistas explorou genialmente a cultura dos seus países através da música. O trio feminino, durante o espectáculo, mostrou um grande potencial artístico e brindou o público com músicas de compositores clássicos mundiais, com realce para Schubert e Vivaldi, bem como de compositores contemporâneos.

Em declaração ao Jornal de Angola, a violinista angolana Fineza André disse que se sentiu emocionada ao partilhar o palco com artistas estrangeiras talentosas e foi uma troca de experiência extraordinária. “Ao conviver com a Jodyline e Vera, me senti muito lisonjeada e aprendi muito com elas, por serem profissionais no que fazem”, disse.

Ao conviver com a Jodyline e Vera, me senti muito lisonjeada e aprendi muito com elas, por serem profissionais no que fazem

Fineza André

Para a instrumentista angolana, o concerto foi um marco para a sua carreira artística. “Já toquei em vários eventos, mas este foi memorável, porque foi a primeira vez que tive um momento a solo no meio de um grande público”.

A violinista disse ainda que quando soube do anúncio que foi a seleccionada para partilhar o palco com Jodyline Gallavardin e Vera Bieber viu ali a grande possibilidade de mostrar o seu potencial, numa actividade de grande responsabilidade, por estar a representar o país e por isso não podia decepcionar.

“Ser escolhida para representar o país ao lado destas duas artistas internacionais foi uma grande conquista pessoal. Senti que a conexão com o público foi perfeita, houve uma grande vibração da plateia. Penso que mostrei para o mundo que Angola tem bons intérpretes na música clássica”, realçou.

Para Jodyline Gallavardin, a música tem a particularidade de unir várias nacionalidades e culturas. “Sinto-me feliz por participar de um espectáculo com um elevado número de pessoas na audiência, foi uma experiência sublime tocar junto com a Fineza e a Vera”, destacou.

Jodyline Gallavardin referiu que estar em palco com as colegas de profissão, foi uma experiência encantadora, por juntar culturas e hábitos culturais diferentes, sobretudo por ser um concerto realizado por uma nova geração de musicistas. “Foi uma experiência maravilhosa”, disse.

Já a flautista Vera Bieber referiu que partilhar o palco com artistas de França e Angola, foi um momento único. “Sendo que cada uma de nós tem o seu jeito de ser e pensar, estilo e culturas totalmente diferentes, para mim foi um momento único e surpreendente”, disse.

Sendo que cada uma de nós tem o seu jeito de ser e pensar, estilo e culturas totalmente diferentes, para mim foi um momento único e surpreendente

Vera Bieber

A língua, continuou, jamais pode ser um impedimento para unir artistas que tiveram um único objectivo: o de mostrar o que aprenderam e poder partilhar momentos musicais com o público.”

De acordo com Vera Bieber, a criação de condições facilitou a interacção entre as instrumentistas. “Tivemos bons tradutores, que nos ajudaram a fazer melhor a leitura do que se pretendia com o concerto, e isso facilitou bastante no produto final. No primeiro momento, estive um pouco apreensiva por não conhecer o público e ser tudo uma novidade para mim, mas com o decorrer do espectáculo fui me sentindo acarinhada pelo público”.

Vera Bieber explicou que se porventura receber novamente um convite para participar de um concerto em Angola, está disposta a regressar e partilhar momentos agradáveis com artistas angolanos. “Foi uma surpresa agradável estar em Angola e partilhar vários momentos culturais e artísticos com os angolanos”, rematou.

______________________________________

Armindo Canda – Jornalista

JORNAL DE ANGOLA | 21/01/2024  ÚLTIMA ACTUALIZAÇÃO 09H00

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *